Concurso para o IFB oferece salários de até R$ 9,6 mil

O certame distribuirá 50 vagas para todos os campi do Instituto Federal de Brasília (IFB). Inscrições podem ser feitas a partir de 26 de setembro

0
98

Esta semana contou com mais um edital de concurso público distrital para a área de educação sendo publicado. Foi divulgado no Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (14), o início do novo certame do Instituto Federal de Brasília (IFB), que oferece 50 vagas para a contratação de professores e técnicos.

Das oportunidades ofertadas, 16 são para professores de ensino básico, técnico e tecnológico, que terão salários que variam entre R$ 4.472,64 a até R$ 9.616,18, e que, por sua vez, exigem que o candidato tenha um diploma de nível superior. As áreas que necessitam de novos educadores são: animação digital; captação, edição e mixagem de áudio; cinematografia; edição, videografismo e edição; fundamentos de audiovisual; matemática; mecânica e meio ambiente.

Também há vagas para aqueles que possuem um diploma de ensino médio ou técnico. No edital estão presentes 34 vagas para o provimento de novos servidores administrativos, cujas remunerações vão de R$ 2.403 a até R$ 4.638. Os cargos variam entre assistentes; técnicos de laboratório; pedagogos; engenheiros; contadores e bibliotecários.

Os novos servidores terão a oportunidade de trabalhar em todos os dez campi do IFB que estão espalhados por todo o Distrito Federal. O prazo de inscrições para o concurso será aberto no dia 26 de setembro, e se estenderá até 17 de outubro. Para confirmar a solicitação, é necessário efetuar o pagamento de uma taxa de R$ 150 até 18 de outubro. Caso o candidato queira a isenção do valor, ele deve ficar atento ao seu calendário, já que o requerimento deve ser feito até 27 de setembro.

Para se cadastrar, os concurseiros devem acessar o site da Fundação CEFETMinas, banca organizadora do certame, através do link.

Provas serão em janeiro

De acordo com o edital do concurso do IFB, a primeira etapa do processo de seleção consistirá em uma prova objetiva, que será aplicada no dia 22 de janeiro de 2023. Além de conhecimentos específicos, os concurseiros terão que responder questões de língua portuguesa, raciocínio lógico, noções de informática (exceto para técnicos de laboratório) e legislação do serviço público.

A prova objetiva será a única fase daqueles que irão prestar o concurso para a área administrativa. Já os professores terão que passar por outras duas etapas. Uma delas é a prova de desempenho didático, onde o candidato terá que ministrar uma aula sobre um conteúdo referente a sua área de atuação.

Por fim, os professores terão que passar pela tradicional prova de titulações, onde tanto a experiência profissional quanto a acadêmica serão necessárias para garantir uma boa pontuação. A Fundação CEFETMinas irá divulgar o resultado final do concurso no dia 19 de maio de 2023.

Uma banca pouco conhecida

O ano de 2022 está sendo composto por diversos concursos públicos da área da educação que oferecem grandes remunerações para os seus aprovados. O professor Carlinhos Maia, do Gran Cursos Online, explicou que os altos salários, junto com os excelentes ambientes oferecidos pelo IFB, são os principais motivos para se sonhar com a nomeação. “É um excelente lugar para trabalhar, seja pelas condições de trabalho, pelo bom trabalho desenvolvido, seja pela remuneração ou pela formação que o professor vai continuar tendo e sendo valorizado a todo tempo”, explica.

O professor também observa que a CEFETMinas é uma banca organizadora pouco conhecida pelos brasilienses, e que a sua relevância ainda é pequena até mesmo em um âmbito nacional. Por isso, antes do início das avaliações, os estudantes devem conhecer mais sobre a sua metodologia, estudando a fundo as suas provas antigas.

“Ela faz questões de múltipla escolha, geralmente muitas afirmativas a serem julgadas e depois uma sequência correta a ser analisada para marcar a questão. São questões grandes, questões que muitas vezes vão levar o candidato a um grande grau de cansaço já que ao longo da prova é muita coisa pra ler.”, conta.

Dicas para a aprovação

Uma dica de Maia para a reta final antes da aplicação da prova é o estudo de bancas mais conhecidas que se assemelham à didática da CEFETMinas, como a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e a Fundação Carlos Chagas (FGV), que possuem um maior acervo de questões que podem ser estudadas: ”Pegar as provas anteriores dos Institutos Federais também é uma boa estratégia para treino, já que cobram também temáticas similares”.

O especialista pondera que existe um costume de não haver questões de raciocínio lógico e de informática nos concursos para a área da educação, o que faz acreditar que as duas disciplinas podem ser um grande diferencial na prova do IFB, garantindo a aprovação de muitos candidatos. “Acredito que quem for bem vai estar à frente. Óbvio que conhecimentos específicos, que tem peso dois, vai fazer a diferença também”, conclui Carlinhos Maia.

Por Redação do Jornal de Brasília com informações de Sandra Barreto

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília