Maio registra 28,5% menos mortes no trânsito no DF

A redução ocorreu em meio às ações do Maio Amarelo, movimento mundial para diminuir o risco de acidentes

7

O número de mortes nas rodovias do Distrito Federal está em queda. Em maio deste ano, foram registrados 15 óbitos, 28,5% a menos do que no mês anterior. Também houve encolhimento, na comparação com o mesmo mês em 2021, quando 18 pessoas morreram no trânsito. Os dados são do levantamento estatístico do Departamento de Trânsito (Detran).

“Nosso objetivo primordial é chegar à morte zero no trânsito, mas para isso precisamos contar com o engajamento de toda a sociedade”Thiago Nascimento, diretor-geral do Detran

Das 15 ocorrências, somente três foram em vias urbanas, área que também apresentou redução no número de mortes. Nas vias de competência do Detran, entre janeiro e maio, foram registradas 19 mortes – 39% a menos do que no mesmo período no ano passado. À época, 31 pessoas morreram em acidentes de trânsito.

As reduções ocorreram em meio às ações do Maio Amarelo, movimento mundial com o objetivo de diminuir o risco de acidentes de trânsito. “Continuaremos batalhando intensamente para manter esse feito”, afirma o diretor-geral do Detran, Thiago Nascimento. “O nosso objetivo primordial é chegar à morte zero no trânsito, mas para isso precisamos contar com o engajamento de toda a sociedade, porque o nosso lema é ‘Juntos salvamos vidas’”.

A quantidade de pedestres mortos no DF também diminuiu nos cinco primeiros meses de 2022. Foram registradas 20 mortes por atropelamento contra 22 no mesmo período do ano passado. Nas vias do Detran, a redução em relação a 2021 chega a 25%. De janeiro a maio deste ano, foram nove mortes, enquanto no mesmo período do ano anterior houve o registro de 12. Além disso, de janeiro a maio deste ano, não houve óbitos em faixas de pedestres no DF.

Vulnerabilidade

Integrantes de um grupo vulnerável, 25 motociclistas perderam a vida no trânsito até maio deste ano. Foram seis casos em vias urbanas e as demais ocorrências em rodovias distritais ou federais. No caso dos ciclistas, foram oito mortes até agora, três em vias urbanas.

“Realizamos diversas ações para conscientizar a sociedade quanto a uma convivência pacífica e segura entre todos os modais”, aponta o diretor-geral do Detran. Ele cita as campanhas publicitárias e ações educativas de rua, como o Projeto Bike em Dia, e o passeio ciclístico – evento mensal em que as vias de determinada região administrativa são tomadas por ciclistas.

Em relação à combinação de álcool e direção, os dados do Detran revelam que, até maio, foram flagrados 14.468 condutores dirigindo após o consumo de bebida alcoólica. O número 69,4% maior do que o registrado em 2021.

*Com informações do Detran-DF

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto

Foto: Vinicius de Melo/Agência Brasília