Uma praça de esportes para o Riacho Fundo II

Espaço será construído por fases; campo sintético é o primeiro equipamento público na região da Quarta Etapa, um setor que concentra 20 mil pessoas

971

O Riacho Fundo II vai ganhar uma praça de esportes formada por campos sintéticos de futebol, parquinho, quadras de areia, de tênis e poliesportiva. Um projeto de quase R$ 5 milhões em investimentos e que será feito em diferentes fases, aos poucos.

Não vai demorar muito para que a garotada da cidade e também os mais grandinhos possam praticar a sua atividade física, qualquer que seja. O campo sintético da cidade, a primeira etapa da obra, já está 90 % executada.

Localizado na QN 34, Conjunto 5, o espaço é o primeiro equipamento público para esporte e lazer na região. A construção faz parte de um conjunto de obras que será executado no local pela Secretaria de Esportes e Lazer (SEL).

A área vai receber também um segundo campo sintético, um parquinho, quadra de areia, de tênis e poliesportiva e será transformada em uma praça de esportes. O projeto tem investimento total de R$ 4,7 milhões, com emenda parlamentar destinada pela deputada federal Celina Leão.

A construção vai beneficiar centenas de moradores da região da Quarta Etapa do Riacho Fundo II, que vai da QN 18 à QN 34, que não têm opções de esporte, lazer e diversão.

O setor tem cinco mil unidades habitacionais, aproximadamente, e concentra cerca de 20 mil moradores, como a dona de casa Maria Vilany Marcolino da Silva, 28 anos, residente no condomínio Ave Branca, que fica a uma distância de cerca de 100 metros do campo sintético.

Maria Vilany vê a obra evoluir, ao mesmo tempo em que já imagina os filhos, João Guilherme, 12 anos, e Jonas Jorge, de cinco, brincando próximo de casa. “Vai ser uma alegria para essa meninada. Aqui há muitas crianças e adolescentes, mas não tem nada para eles se divertirem. Ouvi dizer que vai ter até um PEC (Ponto de Encontro Comunitário). Aí, vou fazer uns exercícios também”, disse Maria Vilany.

Pronta para a escolinha

João Guilherme também torce para que o campo fique pronto logo. O menino disse que brinca com os amigos, quando aparece uma bola, mas já imagina a abundância de bolas quando o campo abrigar projetos sociais. “Eu quero participar da escolinha de futebol e de vôlei”, crava a criança.

Porteiro de um edifício na Asa Sul, Admilton Moreira de Souza, 31 anos, mora com a família no Residencial Vila Verde, um condomínio que também está localizado bem próximo do campo sintético.

Ele ressalta que o condomínio não tem espaços para o lazer de crianças e adolescentes e, por isso mesmo, ele comemora a construção do campo.

“Com certeza vai ser uma ótima opção de lazer para os jovens daqui. Eles vão poder descer e se divertir. No condomínio, as crianças não podem andar de bicicleta e nem brincar direito, porque reclamam de tudo. Também é um local que não tem nem parquinho e muito menos área de esporte”, desabafa Admilton.

Para a administradora do Riacho Fundo II, Ana Maria da Silva, a chegada de uma área de lazer e esporte na cidade representa qualidade de vida para a população local. “Estou muito feliz. É mais uma grande conquista para nossa cidade. Esse novo espaço esportivo vai agregar ainda mais para os jovens e proporcionar a todas as idades o estímulo às atividades esportivas”, disse Ana Maria Silva.

Investindo em esporte e lazer

O campo sintético do Riacho Fundo II faz parte de um projeto da secretaria de Esporte e Lazer, que prevê a construção de oito desses espaços em oito regiões administrativas: Planaltina, Recanto das Emas, Cruzeiro, Ceilândia, Sobradinho II, Taguatinga Norte e Gama, além do Riacho Fundo II.

Os recursos são, em parte, da Secretaria de Esporte e Lazer e de emendas parlamentares, como dos deputados distritais Rafael Prudente, Reginaldo Sardinha, Eduardo Pedrosa e Iolando Almeida, e da deputada federal Celina Leão. As empresas responsáveis pela execução das obras foram contratadas por meio de licitação.

A secretária de Esporte e Lazer, Giselle Ferreira, comemora as entregas da pasta, já que os oito campos sintéticos estão em fase final de construção. Os campos têm o tamanho de 23m x 43m cada um. As benfeitorias incluem a iluminação, cercamento e colocação de traves.

“As ações foram planejadas para que a população possa ter mais opções para aproveitar momentos de lazer e buscar saúde por meio do esporte. Essa parceria com as regiões administrativas reforça, mais uma vez, o trabalho em conjunto do time do Governo do Distrito Federal”, ressalta Giselle Ferreira.

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto

Foto: Tony Oliveira/Agência Brasília