Ações preventivas para evitar estragos das chuvas em São Sebastião

Operação tapa-buraco, manutenção de vias não pavimentadas e instalação de manilhas foram alguns dos trabalhos realizados em três áreas da RA

973

O mês de dezembro no Distrito Federal já é o mais chuvoso dos últimos sete anos, de acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Por isso, as ações do GDF Presente têm sido focadas em trabalhos preventivos e de restauro relacionados aos estragos causados pelos temporais.

Em São Sebastião, algumas áreas receberam os trabalhos com esse objetivo, como o bairro Vila Nova e as regiões rurais do Morro da Cruz e do Capão Comprido.

Nas zonas rurais, as vias não pavimentadas tiveram serviços de manutenção que ocorreram na Quadra 19, Rua 11, do Morro da Cruz, e no sentido Assentamento Tiradentes, no Capão Comprido. “Por se tratar de áreas rurais e estradas não pavimentadas, as vias sofrem bastante danos devido às fortes chuvas que estão ocorrendo”, explica o coordenador que está responsável pelo Polo Leste do GDF Presente, Leandro Cardoso.

A ação consiste na recuperação das estradas de terra e contou com a participação da administração regional. “Neste período chuvoso, nossas estradas rurais ficam intransitáveis e com a ajuda frequente das máquinas do Polo Leste o nosso serviço melhora e podemos ter mais frentes de trabalho”, destaca o administrador de São Sebastião, Alan Valim.

Outros serviços

Na estrada do Capão Comprido, o programa ainda instalou manilhas de concreto na subida da Chácara do Penha, para garantir a drenagem de águas pluviais.

No bairro Vila Nova, foram utilizadas 2.500 toneladas de massa asfáltica na Operação Tapa-Buraco realizada na Rua do Ceará, no sentido Praça do Reggae. Já na Rua 29, os serviços foram de recolhimento de entulhos. Ao todo, 10 toneladas, carregadas em dois caminhões.

Nos lotes da Área de Desenvolvimento Econômico de São Sebastião que integram o Programa de Apoio ao Empreendimento Produtivo do Distrito Federal (Pró-DF), os trabalhos foram para desobstrução das bocas de lobo.

“A importância desse trabalho é a manutenção contínua devido o período chuvoso. Estamos focando bem nesse recolhimento de inservíveis para evitar os focos de dengue e nessas limpezas de boca de lobo para desobstruir as redes de drenagem para evitar alagamentos”, complementa Cardoso.

Todos os trabalhos em São Sebastião contaram com a participação de 15 colaboradores, além da utilização de seis caminhões e sete maquinários, sendo duas niveladoras (patrol), uma retroescavadeira, um bobcat (equipamento agrícola), duas pás carregadeiras e um rolo compacto.

Por Agência Brasil com informações de Sandra Barreto

Foto: GDF Presente