Cidade da Segurança apresenta saldo positivo no Paranoá

Durante três dias, região administrativa é contemplada com ações que prosseguem até a madrugada de segunda-feira (15)

1323

“A CSP tem uma característica muito peculiar de aproximação com a população, o que reflete diretamente no aumento da sensação de segurança”Júlio Danilo, secretário de Segurança Pública

Durante quatro dias de muito movimento, o Paranoá, que recebeu a quarta edição da Cidade da Segurança Pública (CSP), contou com programação direcionada ao enfrentamento da violência de gênero, atendimentos ao cidadão e prevenção à criminalidade, por meio de palestras e orientações. A iniciativa é da Secretaria de Segurança Pública (SSP), com a participação de vários órgãos do GDF.

Foram registrados 4.598 atendimentos – média de mil por dia. Entre as ações, houve palestras sobre enfrentamento à violência doméstica, orientações do Programa de Prevenção Orientado à Violência Doméstica e Familiar (Provid) e da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher Móvel (Deam Móvel), atendimento de serviços das forças de segurança e demonstração de equipamentos utilizados em operações policiais.

Reforçadas na região e também no Itapoã, as ações de policiamento se estendem até a madrugada desta segunda-feira (15). O resultado das ações já foi percebido nos primeiros dias da CSP, com redução de mais de 50% dos registros de ocorrência e nenhum registro ou tentativa de crimes contra a vida.

“A CSP tem uma característica muito peculiar de aproximação com a população, o que reflete diretamente no aumento da sensação de segurança”, explicou o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo. “É um projeto bastante democrático, em que as pessoas chegam até a estrutura montada para funcionamento dos serviços, que é escolhido com muito cuidado para que seja um espaço de grande circulação e fácil acesso à população, como ocorreu na praça central do Paranoá, e que atende a uma determinação do nosso governador Ibaneis, de realizar um governo cada vez mais horizontal, mais próximo da população, e com prestação de serviço de excelência.”

Um dos pontos fortes da ação é a aliança com a comunidade.  “Realizamos um encontro com lideranças religiosas, por meio da Aliança Distrital de Instituições Religiosas e Sociais, que tem como objetivo capacitar líderes e articuladores sociais a identificar situações de violência e a fazer os encaminhamentos à rede de atendimento e de denúncia, quando necessário”, informou o subsecretário de Prevenção à Criminalidade, Sávio Ferreira.

Proximidade com o público

Sem expediente no trabalho no último sábado (13), o garagista Herivelton Chaves, 45 anos, aproveitou para tirar a Carteira de Identidade no ônibus da Polícia Civil e acompanhar as exposições das forças de segurança. “A gente aproveitou para passar na tenda do Proerd [Programa Educacional de Resistência às Drogas]”, contou o morador do Itapoã. “O que mais me chamou a atenção foi a tenda do Detran, porque aprendi muito com as aulas sobre o trânsito”, destacou sua esposa, Ana Paula Amorim, 38.

Para o chefe do Núcleo de Campanhas Educativas do Detran, Miguel Videl, a participação da população do Paranoá e Itapoã é fundamental para garantir a segurança no trânsito. “É importante estarmos perto da sociedade para mostrar as condutas necessárias no trânsito para proteger vidas”, disse.

“É uma ação disruptiva, por integrar forças de segurança, secretarias parceiras e a comunidade no mesmo espaço, levando ações educativas, prevenção, acesso a direitos”, pontuou a coordenadora do Suporte Operacional da Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade (Suprec), Rosineide Sá. “Mais do que serviços, proporciona experiências e trocas que marcaram as vidas de quem visitou os estandes e conheceram mais de perto a atuação das forças de segurança.”

Quinto Mandamento

Durante toda a semana foram realizadas operações diárias de combate à criminalidade, além do policiamento ordinário realizado pelo 20º Batalhão da Polícia Militar do DF, e 6ª Delegacia de Polícia, da Polícia Civil do DF, responsáveis pelas regiões do Paranoá e Itapoã.

Desde sexta-feira (12), as ações ganharam reforço com a operação Quinto Mandamento, que segue nas duas regiões até este domingo (14). “Nesta edição da CSP, realizamos, somente na sexta-feira [14], 296 abordagens veiculares, em que foi possível fazer o teste de bafômetro”, informou o secretário executivo de Segurança Pública, Milton Neves.

Fiscalização de sentenciados

A Secretaria de Administração Penitenciária (Seape) intensificou a fiscalização de imposições penais de sentenciados, como aqueles que cumprem regime aberto, prisão domiciliar ou livramento condicional ou regime semiaberto beneficiado com trabalho externo. Somente na primeira noite de atuação na Quinto Mandamento, 112 apenados foram fiscalizados.

O Centro Integrado de Monitoração Eletrônica (Cime) também participou do monitoramento de 30 pessoas com tornozeleira eletrônica. Um mandando de prisão foi cumprindo pelo centro.

Além das forças de segurança – polícias Militar (PMDF) e Civil (PCDF), Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) e Departamento de Trânsito (Detran), também participam da CSP as secretarias da Mulher (SM), de Justiça e Cidadania (Sejus) e de Administração Penitenciária (Seape), o Banco de Brasília (BRB), Neoenergia BSB, Defesa Civil e Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto: Divulgação/SSP