Taguatinga ganhará parque em frente à Católica

20

Espaço ficará em frente ao campus da Católica e terá equipamentos para ginástica, pista de cooper, ciclovia e parquinhos infantis.

A Administração Regional de Taguatinga, o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e a Universidade Católica de Brasília (UCB) assinaram um termo de ajustamento de conduta (TAC) que tira do papel o projeto de construção de um parque urbano em Taguatinga Sul.

O parque ficará em frente ao campus da Católica, no Pistão Sul. O novo complexo de lazer terá 71,7 mil metros quadrados (o equivalente a sete campos de futebol) e contará com equipamentos para ginástica, pista de cooper de quase 3 km, ciclovia, parquinhos infantis, uma quadra esportiva, uma quadra de vôlei de areia e um estacionamento com 95 vagas.

A obra custará R$ 33 milhões. A construção e manutenção do parque ficará sob responsabilidade da UCB.

A expectativa da Administração Regional de Taguatinga é de que o local receba até dez mil pessoas por dia, principalmente moradores de Taguatinga Sul e Arniqueira, Águas Claras, Riacho Fundo e Samambaia, regiões administrativas próximas ao local do futuro parque.

Acordo com a universidade

O acordo assinado entre as três partes colocou fim a um processo judicial de questionamento da área e representou um ganho efetivo para a sociedade, como explica o assessor técnico da Administração Regional de Taguatinga, Samir Rocha: “A construção, no molde que foi acordado, só vai trazer benefícios. Uma multa nem sempre é um retorno ideal para a cidade ou para a administração pública. O parque irá beneficiar toda a sociedade e vai valorizar ainda mais aquele setor de Taguatinga Sul. Resolve-se um problema, gera-se receita e tem como bônus mais qualidade de vida”.

O administrador regional de Taguatinga, Bispo Renato Andrade, também celebrou a assinatura do acordo e a importância que o local terá para a população da região. “O próprio promotor disse que o processo demoraria anos, iria gerar uma indenização e poderia não levar a nenhum ganho concreto. A concepção de um parque desse porte não seria possível somente com recursos públicos. Será um grande espaço destinado à população, para ela usufruir”, ressalta.

Com informações da Agência Brasília

Por Redação do Jornal de Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto Reprodução