Painel de monitoramento da dengue do DF ajuda nas ações contra a epidemia

Ferramenta possibilita que gestores entendam a situação em tempo real e adotem ações rápidas e efetivas

0
600

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IgesDF) criou uma ferramenta para ajudar no combate à dengue. O painel de monitoramento da dengue é utilizado por gestores para avaliar o perfil dos pacientes com a doença.

O painel oferece uma visão abrangente e em tempo real da situação atual da dengue no Distrito Federal. Os dados apresentados incluem o número de casos confirmados, incidência por região, análise temporal e outras métricas relevantes.

“A integração da tecnologia no monitoramento de doenças, como a dengue, representa um avanço significativo na inovação da saúde pública. Essa abordagem moderna permite uma resposta mais ágil e efetiva a desafios epidemiológicos”, explica o presidente do IgesDF, Juracy Cavalcante Lacerda Júnior.

O gestor explica que o painel fornece informações valiosas para a alocação eficiente de recursos, direcionando esforços e meios para as regiões mais afetadas. “Isso otimiza a resposta do sistema de saúde, garantindo atendimento adequado e oportuno aos pacientes”, afirma.

A interface intuitiva e interativa permite que os usuários naveguem pelos dados de maneira fácil e compreensível, facilitando a análise e a tomada de decisões informadas. O painel de monitoramento da dengue foi desenvolvido pela Superintendência de Tecnologia da Informação do IgesDF e pode ser acessado no link.

Segundo o superintendente de TI do IgesDF, Deilton Lopes, o painel é um exemplo notável de como a tecnologia pode ser aliada na promoção da saúde pública.

“Ao fornecer informações precisas e acessíveis, a ferramenta desempenha um papel crucial na prevenção e controle da dengue, demonstrando o comprometimento do IgesDF em utilizar a tecnologia para o benefício da comunidade”, destaca.

O histórico detalhado fornecido pelo painel permite a análise de tendências ao longo do tempo. Isso é fundamental para o planejamento estratégico a longo prazo, contribuindo para a criação de políticas mais eficazes de combate à dengue. A acessibilidade do painel também contribui para o engajamento da comunidade. Ao compreender a situação local da dengue, os cidadãos podem adotar medidas preventivas e colaborar ativamente na redução dos casos.

O Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e as 13 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) são as principais portas de entrada de emergência geridas pelo IgesDF para atendimentos de pacientes com dengue. Também está sob gestão do Instituto o Hospital Cidade do Sol (HSol), utilizado somente para internação de pacientes diagnosticados com a doença encaminhados de outras unidades de saúde, não atende porta aberta.

*Com informações do IgesDF

Por Agência Brasília

Foto: Davidyson Damasceno/ IgesDF / Reprodução Agência Brasília