Voluntários arrecadam doações às famílias impactadas pelas chuvas na Vila Cauhy

Instituto Barba na Rua e Comunidade Obra de Maria arrecadam fundos, mantimentos e itens essenciais às familias afetadas pelas chuvas na região

0
619

As pancadas de chuva da madrugada de quarta-feira (3/1) provocaram alagamentos em vários pontos da Vila Cauhy, localizada no Núcleo Bandeirante. Muitas famílias perderam bens e ficaram desabrigadas. Diante dessa realidade, o Instituto Barba na Rua e a Comunidade Católica Obra de Maria estão promovendo iniciativas humanitárias para ajudar os desalojados.

Na região, a ponte da Rua Seu Adelino, a Rua Professora Maira Marques, a ponte Azulão e a Rua da Glória, foram atingidos. Na manhã desta quinta-feira (4/1), a ação do instituto atendeu mais de 40 famílias da Vila Cauy com doações de mantimentos, itens essenciais e apoio emocional às famílias afetadas.

Quem está liderando a iniciativa é o presidente do instituto, Rogério Barba. “Com casas destruídas e vidas viradas de cabeça para baixo, essas famílias precisam de ajuda para se reerguer. A generosidade das pessoas é a luz no fim do túnel para quem enfrenta a escuridão da adversidade”, disse. “As doações estão sendo entregues em mãos diretamente para os moradores mais necessitados”, completou. 

Seguem abaixo os dados para doações:

Contato Whatsapp

(61) 983638161 – Rogério Barba

Dados bancários: 

BANCO COOPERATIVO SICREDI S.A.

CHAVE PIX: 40729003000185

INSTITUTO BARBA NA RUA

AGÊNCIA 3953 / CONTA CORRENTE 93390-2

Obra de Maria

A Comunidade Católica Obra de Maria, por sua vez, está arrecadando mantimentos e valores para atender as famílias que foram afetadas pelas chuvas. O grupo religioso pede a doação de roupas e cestas básicas, que possam ser entregues para os desabrigados assistidos pelos voluntários. 

As doações podem ser feitas pelo pix da instituição, que é o CNPJ: 15.273.795/0002-60. Banco do Brasil, agência 1235-1, conta 75974-0.

Por Mila Ferreira do Correio Braziliense 

Foto: Instituto Barba na Rua / Reprodução Correio Braziliense