Crianças brasilienses têm opções de colônias de férias para todos os gostos

Empresas e espaços oferecem contato com animais, atividades bilíngues, leitura e contação de histórias para crianças de 2 a 13 anos. Procura por colônias de férias aumentou cerca de 30% em relação ao mesmo período deste ano

0
768

Com o fim das aulas, os pais e responsáveis deixam os filhos em colônias de férias com várias atividades para os pequenos gastarem energia à vontade, com direito a lanche. As atrações são diversas, desde aulas bilíngues, contação de histórias, leitura e interpretação com desenhos, árvores de Natal de papel, contato com animais e banho de mangueira. Na colônia de férias Arte de Viver, que usa os espaços da Play Games e Mag Educacional, localizados em Águas Claras, a procura aumentou 30% em relação ao mesmo período de 2022.

Coordenadora do espaço, a pedagoga Giselle Santana, 40 anos, explica que as vagas são limitadas para garantir a segurança dos pequenos, de 2 a 13 anos, separados em grupos de 15, monitorados por dois educadores treinados para conduzir as atividades infantis. “Em dezembro, a procura foi de 95% pelo período vespertino. Em janeiro, aumentou para o integral”, afirma.

A administradora Eliene Maciel, 49, deixa a filha Emanuelle Sofia Maciel, 10, há dois anos na colônia de férias Arte de Brincar. “Eu fico tranquila porque mandam fotos de como foi o dia deles. Sempre que preciso falar com ela, está acessível. A Manu foi como influencer digital para divulgar a colônia, mas ficamos tão encantadas pela forma como lidam com as crianças que eu quis deixá-la lá”, lembra.

Eliene relata que, toda vez, a garota conta os dias para poder ir à colônia de férias, na qual ela adora o dia de ir fantasiada e as atividades com slime, banho de mangueira e cabelo maluco. “Ela também adora o lanche que tem lá na colônia, principalmente quando tem estrogonofe e sanduíches”, cita a mãe da menina.

Na colônia de férias Lendo e Criando, na Biblioteca Escolar Comunitária Valéria Jardim, no Centro Educacional (CED) 2 de Taguatinga Sul, o estímulo é para atividades ao ar livre, sem uso de tela, para crianças de 6 a 10 anos. Um dos destaques será a visitação de baobás (árvore de origem africana), ministrada por André Bento, escritor e pesquisador sobre a espécie.

“O objetivo é trazer atividades que visem a leitura e interpretação com desenhos. Vai ser uma colônia de férias literária, em que a psicopedagoga vai contar a história e os meninos vão interpretá-la por meio de desenhos”, explica a coordenadora Sandra Barros, 53.

Das 14h às 17h, ela, os monitores, contadores de histórias, psicopedagoga e uma professora vão atender os pequenos, que terão outras atividades também. Entre elas, estão brincadeiras ao ar livre, como pular corda e amarelinha. A coordenadora do projeto conta que será a primeira vez que vai fazer a abordagem com leitura. “Tem 5% dessas crianças que eu não conheço, mas o resto é da comunidade que a gente atende. São crianças que gostam de ler e têm o hábito da leitura, mas pelo fato de também ter as brincadeiras chamou mais a atenção delas”, avalia.

Natureza

Outra opção para curtição neste período é a Fazenda BSB, em Vicente Pires, que vai atender crianças de 2 a 12 anos, divididas em três grupos. Além das brincadeiras, como pique bandeirinha e banho de mangueira, o espaço oferece contato com animais e a natureza. “A ideia é levar uma infância em contato com a natureza, com pés no chão para pegar fruta no pé, e sem uso de tela”, afirma a proprietária do local, Paula Cordeiro, 29.

Com atividades no turno matutino, vespertino e período integral, a Fazendinha recebeu os pequenos de 18 a 22 de dezembro e também receberá de 8 a 26 de janeiro. “Nossa expectativa está alta porque trabalhamos durante todo o ano, criando dinâmicas e atividades para produzir uma colônia de férias bem completa. Temos biólogos, enfermeiros e uma equipe completa nesse sentido”, detalha a empresária.

Hora de brincar

Chegando à 32ª edição, a Colônia de Férias É Hora de Brincar, que ocorre de 8 a 26 de janeiro no clube Caesb Esportiva e Social (Caeso), no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA), começou a receber pedidos de inscrições antes do Dia das Crianças, em outubro. As solicitações vieram mais cedo do que em 2022, quando as reservas foram feitas em dezembro.

“A maioria dos pais que nos procuraram disseram que passariam o Natal e Ano-Novo em família para retornar ao trabalho na primeira semana de janeiro, pois não teriam férias. Eles não terão com quem deixar as crianças”, conta a dona da empresa, Milena Joyce Gonçalves dos Santos, 41.

Com diversas atrações para crianças de 2 a 13 anos, divididas por faixa etária, Milena sempre apresenta novidades para os pequenos, que serão atendidos por cerca de 30 funcionários, entre monitores, merendeira e uma nutricionista que faz o cardápio.

Para o próximo mês, ela investiu na montagem de uma pista de skate, Corrida Kids, Cabine (fotos impressas dos pais com as crianças), passeio de charrete dentro do clube e personagens de desenho animado com pinturas artísticas. “A gente resgata valores e brincadeiras antigas sem jogos eletrônicos, trazendo a queimada, o pique-pega e as corridas do ovo e do saco”, completa.

Especializada na gestalt terapia — abordagem que auxilia pessoas a encontrarem o potencial para uma vida plena —, a psicóloga Jhanda Siqueira, 37, afirma que a colônia de férias tem uma particularidade, pois os pais não conseguem cuidar dos filhos durante o recesso escolar e os pequenos têm uma sensação de perda de tempo em casa. “Elas acabam sentindo que estão chateando os pais com as necessidades delas. Quando vão para a colônia de férias, é um ambiente para elas realmente extravasarem, diferentemente da escola, em que a maior parte do tempo é para responsabilidade e aprendizado”, compara.

Durante as atividades lúdicas, Jhanda explica que as crianças têm a possibilidade de criarem vínculos entre elas e de explorarem mais o corpo nas brincadeiras, como pega-pega, competições de gincana e na escuta das histórias infantis. “Acaba despertando um lado que, na rotina da escola, não tem porque estão envolvidas nas atividades escolares, que envolvem disciplina. A colônia de férias tem uma abertura para elas estarem com as emoções mais liberadas e em contato com a parte social e menos com a parte racional”, analisa a psicóloga.

Serviço

Colônia de férias Lendo e Criando

Datas: 29 de janeiro a 2 de fevereiro

Períodos: matutino, vespertino e integral

Faixa etária: 6 a 10 janeiro anos

Inscrições: presencialmente com Sandra ou Juliana

Atividades: rodas de histórias, oficinas criativas e atividades diversas

Local: Biblioteca Escolar Comunitária Valéria Jardim, no Centro Educacional (CED) 2 de Taguatinga Sul

Contato: (61) 9 9953-9213

Valor: gratuita

32ª Colônia de Férias É Hora de Brincar

Datas: 8 a 26 de Janeiro de 2024

Períodos: matutino, vespertino e integral

Faixa etária: 2 a 13 anos (turmas divididas por faixa etária).

Endereço: Caesb Esportiva e Social (Caeso), Setor de Indústria e Abastecimento (SIA)

Site: www.ehoradebrincar.com

Valor: a partir de R$ 149

Contato: (61) 9 9999-0072

Descontos: 15% para colonins (adultos participantes da colônia); 10% colaboradores, sócios e funcionários da Caesb; e 6% para pagamento à vista (somente em dinheiro ou transferência bancária).

Fazendinha BSB

Datas: 18 a 22 de dezembro de 2023 e 8 a 26 de janeiro

Períodos: matutino, vespertino e integral

Faixa etária: 2 a 12 anos

Endereço: Chácara 135, Rua 10B, Setor Habitacional Vicente Pires

Valor: a partir de R$ 130

Site: www.fazendinhabsb.com.br

Contato: (61) 98260-7813

Colônia de Férias Arte de Viver

Data: 11 a 22 de dezembro e 8 a 19 de janeiro

Horário: 13h às 18h

Local: Mag Educacional, em Águas Claras ou na Play Games, no Águas Claras Shopping

Ingresso: a partir de R$ 425

Diária: R$ 130 até 18 de dezembro

Contato: (61) 99881-5098

*50% de desconto para irmãos

**Todos os espaços têm vagas limitadas

Por Pedro Marra do Correio Braziliense

Foto: Ed Alves/CB/DA.Press / Reprodução Correio Braziliense