Psiquiatria do HBDF marca presença em Encontro da Arte de Saúde Mental

Evento, considerado o maior de arte e saúde mental no Distrito Federal, destaca a Oficina da Terra como símbolo de transformação e integração

0
880

Nos dias 23 e 24 deste mês, a psiquiatria do Hospital de Base marcou presença na 10ª edição do Encontro da Arte de Saúde Mental do DF (EDA-DF), realizado no Centro Comunitário Athos Bulcão. O evento, reconhecido como o maior do gênero na região, reuniu representantes do Centro de Atenção Psicossocial (Caps), de clínicas de saúde mental, ONGs e, especialmente, a equipe da psiquiatria do Hospital de Base, que apresentou um estande especial para celebrar uma década de expressão artística e promoção da saúde mental.

Internos da psiquiatria, juntamente com a equipe multiprofissional e o Serviço Auxiliar de Voluntário (SAV) do HBDF, deram vida a um estande que conta a história do projeto Oficina da Terra. O programa, desenvolvido nos jardins do hospital, estimula habilidades motoras, cognitivas e sociais entre os pacientes psiquiátricos. Fotos, plantas e vasinhos com sementes de girassol, cuidadosamente cultivados pelos próprios pacientes, compuseram o espaço, refletindo o crescimento e a transformação ao longo dos anos.

O enfermeiro-chefe do serviço de psiquiatria e idealizador do projeto Oficina da Terra, Edinan Oliveira Neto, enfatizou a importância do EDA, destacando as trocas de saberes, ideias e incentivos que promove.

Oliveira Neto ressaltou a singularidade e a jornada desse projeto: “Na terra dos desafios, plantamos sementes de superação. A Oficina da Terra é mais que uma horta; é um jardim de transformação, onde pacientes e profissionais cultivam juntos o crescimento da saúde mental. No EDA, celebramos não apenas os dez anos do evento, mas uma década de florescer dentro e fora de nossas paredes hospitalares“.

O 10º Encontro da Arte apresentou uma diversidade de atividades, incluindo exposições, espetáculos, estandes, rodas de bate-papo,  trabalhos científicos e um concurso de poesia. O evento, voluntário, sem fins lucrativos e abertos à comunidade, celebra uma década de inspiração, expressão e cura por meio da arte, dando voz e espaço para aqueles em sofrimento psíquico.

Ao longo desses dez anos, o EDA não apenas celebrou a arte como forma de terapia, mas também enriqueceu a vida de inúmeras pessoas, permitindo que elas se conectassem. O serviço se destaca por sua natureza voluntária, gratuita e aberta a todos. A edição comemorativa foi uma oportunidade para celebrar a resiliência e o poder transformador da arte na saúde mental.

*Com informações do IgesDF

Por Agência Brasília

Foto: Pollyana Cabral/IgesDF / Reprodução Agência Brasília