GDF fará mais reformas no Setor Comercial Sul

A ordem de serviço para o início das obras foi assinada em solenidade na Praça do Povo, recentemente revitalizada pela gestão

0
105

Mais um investimento para a Área Central de Brasília foi autorizado pelo Governo do Distrito Federal (GDF), na manhã desta sexta-feira (27). Em solenidade na Praça do Povo, o secretário de Governo, José Humberto, assinou a ordem de serviço que dá início às obras de revitalização na quadra 4 do Setor Comercial Sul (SCS). O investimento será de R$1,4 milhão para reforma do pavimento, remarcação de sinalização viária, paisagismo, novas calçadas e instalação de mobiliário urbano. A solenidade estava na agenda oficial do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) , contudo, ele não apareceu.

Pelo que diz o contrato da empresa vencedora da licitação, são previstos nove meses de trabalho no local. “O serviço será executado por etapas para não atrapalhar a rotina local. É uma requalificação feita de forma integrada com todos os empresários da região. O objetivo é melhorar não só o aspecto físico e estético da área, mas revigorar a economia do setor”, contou o secretário José Humberto. Também presente no evento, o secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho, explicou que a pasta tem investido em acessibilidade, melhorando espaços públicos e organizando ocupações.

“A Praça do Povo foi o ponto de partida dessa requalificação”, contou Luciano. A Praça do Povo, onde as autoridades se encontraram, fica na quadra 3 do Setor Comercial Sul, e foi entregue de volta à população totalmente reformada em outubro de 2021, quando o governo começou os trabalhos pela região. Vale ressaltar que cerca de 150 mil pessoas circulam diariamente pelo setor, que fica localizado no centro da capital federal, há poucos metros do Pátio Shopping e próximo à Rodoviária do Plano Piloto. O lugar não recebia reformas desde a década de 70.

Na ocasião, José Humberto também visitou as obras que estão em andamento nas quadras 3 e 5 do setor, que começaram no mês de setembro e custam mais de R$7 milhões. O GDF também quer melhorar as quadras 1 e 6, mas ainda sem previsão para assinatura de ordem de serviço. Compareceu à cerimônia de assinatura a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, que celebrou a conquista e o olhar especial do governo para o local: “Aqui é o coração pulsante da cidade”.

Os projetos para o SCS são feitos pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), que tem foco em entender as necessidades da comunidade que frequenta a região. “Apostamos em melhorias que tragam mais seguranças e ofereçam um espaço público de qualidade”, declarou Mateus Oliveira, líder da pasta. No ano passado, quando o governador Ibaneis inaugurou a nova Praça do Povo, ele explicou que não mediu esforços para que a revitalização acontecesse: “Vamos seguir reformando todo o setor para que a gente possa atrair para cá mais empresários”.

Ibaneis reduz carga horária de servidores em dias de jogos da seleção

Um decreto assinado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), publicado ontem no Diário Oficial do Distrito Federal, reduz a carga horária de servidores da administração pública direta e indireta em dias de jogos da seleção brasileira durante a Copa do Mundo. O decreto nº 43.892 de autoria do Poder Executivo, define que nos dias 24 de novembro e 2 de dezembro o expediente será de 8h às 14h, e no dia 28 de novembro será ponto facultativo. “O horário nos demais jogos da seleção brasileira de futebol será informado à medida que a equipe for se classificando para as fases seguintes”, explica o texto.

Contudo, é importante destacar que nem todos vão poder trabalhar em horário reduzido. O documento informa que as regras divulgadas não se aplicam às áreas da saúde, segurança, vigilância sanitária, fiscalização tributária, comunicação, assistência social, fiscalização de proteção urbanística, fiscalização do consumidor e de limpeza urbana. Segundo o decreto, os profissionais dessas áreas deverão “seguir as instruções das respectivas chefias”. Além disso, as unidades responsáveis por atendimentos essenciais aos cidadãos deverão manter escalas de modo a garantir a prestação ininterrupta dos serviços.

Por Redação do Jornal de Brasília com informações de Sandra Barreto

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília / Reprodução Jornal de Brasília