Inscrições prorrogadas para os cursos de empreendedorismo feminino

O Todas Elas é uma parceria do GDF com a Fundação Assis Chateaubriand e quer capacitar 2,8 mil mulheres do DF

15036

A Secretaria da Mulher do Distrito Federal, em parceria com a Fundação Assis Chateaubriand, oferece vagas para a quarta turma do programa Todas Elas. Nesta edição, a maior já realizada, 2,8 mil mulheres de baixa renda de todo Distrito Federal poderão se inscrever pelo site do projeto até o dia 14 de janeiro.

Trata-se de um programa gratuito, no qual as mulheres receberão formação empreendedora, apoio psicossocial, mentorias, premiações pelo desempenho e ainda terão acesso à microcrédito em condições especiais para investirem em seus negócios.

O programa foi criado como uma iniciativa para fomentar a inclusão social e para promover o desenvolvimento local. É uma estratégia de acesso à cidadania voltada para mulheres em situação ou risco de vulnerabilidade, que visa apoiá-las na transformação por meio de seus talentos em negócios. A execução da quarta edição do projeto é resultado de uma emenda do deputado distrital Rodrigo Delmasso.

“Esta parceria é de extrema importância porque a gente precisa incentivar a inserção das mulheres no empreendedorismo e no mercado de trabalho por meio da capacitação. É preciso compreender que a autonomia econômica é fundamental para elas, e que, inclusive, é uma estratégia para quebrar um ciclo de violência. Uma mulher que se sustenta tem capacidade de escolha”, defende a secretária da Mulher, Ericka Filippelli.

O Todas Elas já apoiou mais de mil artesãs, costureiras, empreendedoras da área da beleza, da limpeza e da gastronomia a incrementar suas vendas; a atender melhor seus clientes, bem como a estruturarem seus negócios; a precificarem seus produtos e serviços de maneira adequada e a incrementarem seus empreendimentos.

“Buscamos ter sobre essas mulheres uma visão 360º sobre suas necessidades, e suprir muitas das lacunas que marcam suas vidas. E isso só é possível graças a uma rede de parceiros que enxergam seu potencial e apostam nessas mulheres como uma estratégia não só para transformação de suas vidas, mas também de transformação de toda uma sociedade”, reforça a superintendente da Fundação Assis Chateaubriand, Mariana Borges.

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto

Foto: Divulgação/GDF Presente