Projeto vai debater o futuro da economia criativa no DF

O “Panorama da Economia Criativa do Distrito Federal” teve a oficialização do acordo de parcerias realizada no Brasília Palace

418

Foi realizada na noite desta sexta-feira (12), em um evento realizado no hotel Brasília Palace, uma cerimônia para celebrar o firmamento de parcerias entre a Universidade Católica de Brasília (UCB), a Secretaria de Turismo do Distrito Federal (SETUR/DF) e a Federação Fecomércio para a criação do “Panorama da Economia Criativa no Distrito Federal”, um estudo sobre diagnósticos, consumo e estruturação da economia criativa no Distrito Federal.

A cerimônia foi iniciada às 18 horas, e contou com a participação de Ricardo Calegari, reitor da Universidade Católica de Brasília (UCB), José Aparecido, ex-presidente da Fécomercio, e também do secretário executivo de Turismo, Rodrigo Costa e também o coordenador do panorama, o professor Alexandre Kieling. Durante a reunião, foram discutidos entre os integrantes da mesa, os benefícios que o projeto pode trazer para a população do Distrito Federal.

A Economia Criativa é um segmento da economia na sociedade que tem como característica a produção, e que busca estabelecer uma relação entre a tecnologia, a inovação, cultura, criatividade e sustentabilidade. De acordo com o reitor da Universidade Católica, a oficialização das parcerias para a realização do estudo vem sendo planejada há dois anos. Esse também será o prazo de desenvolvimento do panorama, que deve ser lançado no final de 2023.

Benefícios para o turismo no Distrito Federal:

De acordo com Rodrigo Costa, secretário executivo do Turismo, a Secretária de Turismo do Distrito Federal é executora e co-realizadora do “Panorama da Economia Criativa no Distrito Federal”, e disse também que o estudo pode ser feito com recursos de emendas parlamentares. “Nós assinamos o termo de fomento, e estamos executando esse projeto que com certeza vai trazer benefícios para a cidade”, afirma.

De acordo com Costa, a Economia Criativa é um grande motor para a geração de empregos e do aumento de rendas: “O projeto irá subsidiar com informações, para que todo esse setor possa se desenvolver e possa se aperfeiçoar”.

O secretário executivo explica que três setores poderão se beneficiar com este fomento da Economia Criativa, o setor produtivo e a iniciativa privada, o setor acadêmico das universidades e também o setor público.

Já os investimentos que a Secretária de Turismo do Distrito Federal (SETUR/DF) irá realizar graças às informações compartilhadas pelo estudo realizado pelos órgãos, Rodrigo Costa diz que a pasta irá analisar quais são as áreas que possuem um maior potencial de expansão e de crescimento.

Por Renata Andrade do Jornal de Brasília Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto: Jornal de Brasília