Igualdade racial é tema de Mês da Consciência Negra

Ações do GDF começaram nesta quinta-feira (4), com diferentes atividades programadas

354

“Aproveitamos o mês de novembro, em que é celebrado o Dia da Consciência Negra, para sensibilizar a população e trazer visibilidade para a importância desse tema”Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

Para marcar o Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) realizará durante o mês inteiro ações de promoção da igualdade racial e de combate ao racismo no Distrito Federal. A programação inclui debates com especialistas, eventos com a comunidade, publicação de atos normativos e divulgação de materiais informativos.

A primeira atividade foi a posse dos integrantes do Conselho Distrital de Promoção da Igualdade Racial (Codipir), na manhã desta quinta-feira (4), no Salão Nobre do Palácio do Buriti. Formado por representantes do governo e da sociedade civil, o colegiado foi criado este ano para fortalecer os direitos da população negra, dos indígenas e povos tradicionais, além de fiscalizar a execução das ações.

“Todos os dias trabalhamos para a construção de uma sociedade mais justa e igualitária, desenvolvendo políticas de promoção da igualdade racial. Mas aproveitamos o mês de novembro, em que é celebrado o Dia da Consciência Negra, para sensibilizar a população e trazer visibilidade para a importância desse tema”, explica a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani.

Dia da Favela

Após a posse dos conselheiros, a Sejus participa, junto à Central Única das Favelas (Cufa), do Dia da Favela, em Ceilândia. Até as 20h, os moradores dessa região administrativa terão música, cultura e esportes na Estação Cidadania/CEU das Artes da QNR 2, espaço administrado pela Sejus para a promoção de projetos sociais. O evento conta também com a parceria da Frente Favela Brasil e do Coletivo Cultural Sol Nascente.

O coordenador da Cufa de Ceilândia, David Rodrigues, destaca a ação como importante via de acesso a oportunidades, autoestima e serviços sociais. “Nossas ações têm como principal objetivo dar voz as essas comunidades”, afirma. “Os trabalhos que desenvolvemos, em nível nacional ou local, nos aproximam da consciência e do orgulho de ser periférico e das garantias que são nossas por direito”.

Participam dessa programação Marcelo Café, MC Nego Palozo, Keven Paka, DJ Paulo Sérgio, MC Crazy, Mano Dhyaga, Débora Glamurosa, Grupo Alto Astral, DJ Ocimar, in the Hood, N Santos, Cézar Rodrigues, ElaFav (B.Boys), Batalha da Ideia vs Batalha do Terminal, Grafite Kelly, Máfia Norte e Edmar Silva.

*Com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto: Agência Brasília