Vacinação antirrábica ocorre em 7 regiões neste sábado (02/10/11)

Postos estarão abertos até as 16h ou 17h a depender da programação em cada local

3684

A vacinação dos pets contra a raiva continua neste sábado em Brazlândia, Ceilândia, Gama, Jardim Botânico, Planaltina, Recanto das Emas e Sobradinho. Os pontos de vacinação estarão abertos pela manhã e durante a tarde até as 16h ou 17h a depender da programação definida em cada localidade. Os locais podem ser consultados no site da Secretaria de Saúde.

A raiva é uma doença infecciosa de origem viral capaz de levar as vítimas ao óbito em praticamente 100% dos casos. A enfermidade acomete todas espécies de mamíferos, inclusive, seres humanos.

Apesar de há muitos anos não haver registro de casos da doença no Distrito Federal, a raiva precisa ser tratada com seriedade, por isso, é importante levar cães e gatos com mais de três meses para serem vacinados. Desta forma, animais e seres humanos estarão protegidos do vírus.

Dentre as doenças infecciosas de origem viral, a raiva é a única em relação a seu alcance e ao número de vítimas, que pode gerar uma encefalite aguda. O único caso de raiva humana, no Distrito Federal, foi registrado em 1978.

O último caso diagnosticado de raiva em cães foi em 2000 e, em gatos, no ano de 2001. O vírus rábico circula no DF em quirópteros, nos bovinos, equídeos e outros animais.

O vírus da raiva fica presente na saliva de animais infectados e é transmitido principalmente por meio de mordeduras e, eventualmente, pela arranhadura e lambedura de mucosas ou pele lesionada.

Um dos importantes pilares do programa de vigilância da raiva preconizado pelo Ministério da Saúde é a campanha anual de vacinação contra raiva em cães e gatos, de modo a manter, no curto prazo, parcela significativa dessas populações imunes ao vírus. Essas campanhas foram iniciadas com a criação do Programa Nacional de Profilaxia da Raiva (PNPR) em 1973.

Consulte aqui os locais de vacinação.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto: Breno Esaki / Agência Saúde