Um novo ‘Lugar ao Sol’ para contemplar em Samambaia

Oito monumentos da cidade passam por reforma após 16 anos. Dois deles, em balões da Avenida Central, já estão prontos

19702

Da porta de seu restaurante, em Samambaia, José Nilton da Silva, 60 anos, vê o monumento – recém-reformado pela administração regional – chamado Lugar ao Sol. Localizado no balão da Avenida Central, a obra de arte é composta por três casas em cores primárias: amarelo, azul e vermelho. A estrutura de aço de carbono é uma homenagem aos moradores da cidade – criada com o objetivo de dar moradia digna às pessoas.

“Essa iniciativa foi muito importante para todos nós. A obra, assim como as outras, estava muito deteriorada”, lembra José Nilton. “As pessoas passavam e não reparavam mais a obra de arte. Agora, chama atenção. Os clientes que frequentam o restaurante gostam de observar e elogiam a reforma”, comenta o empresário.

“Queremos que essa iniciativa incentive a construção de mais monumentos, tornando a cultura cada vez mais acessível a todas as pessoas”Elton Skartazini, artista plástico

Além desta, mais sete obras de arte fazem parte do projeto Monumentos para Samambaia, criado em 2005 pelo professor Clayton Braga e o artista plástico Elton Skartazini. Elas passam por reforma após 16 anos. Além de homenagear a cidade e seus moradores, as estruturas contam a história da região, estimulam o conhecimento e a imaginação e a transparência do poder público.

“Estou muito feliz. É uma valorização do nosso trabalho e da história da região e das pessoas que moram aqui”, comemora Elton Skartazini. “Queremos que essa iniciativa incentive a construção de mais monumentos, tornando a cultura cada vez mais acessível a todas as pessoas”, reforça o artista plástico.

Segundo o administrador regional de Samambaia, Gustavo Aires, há intenção de construir mais monumentos pela cidade. “Estamos estudando a possibilidade de realizar um concurso público junto ao conselho de cultura da região e às secretarias de Cultura e Turismo. Como Samambaia é repleta de balões, a ideia é construir essas obras nesses locais para dar vida a esses lugares”, adianta.

A obra Lugar do Saber, localizada no balão da primeira Avenida Norte e Central, também já reformada: estímulo sobre a importância do conhecimento

Outras obras

Outra estrutura que já foi reformada é a chamada Lugar do Saber, localizada no balão da primeira Avenida Norte e Central. Segundo Elton Skartazini, é uma forma de estimular as pessoas sobre a importância do conhecimento. “Agora estamos reformando com materiais que vão durar anos. O deste aqui, por exemplo, é de aço de carbono”, explica o artista plástico.

“A nossa cidade tem uma história de busca das pessoas por moradia, por uma vida nova, pelo progresso. As pessoas precisam dar valor a essas memórias, desde a família, a sua cidade, seu país”, ressalta Clayton Braga, um dos idealizadores do projeto. “Estamos contribuindo com essa formação de valores culturais que é fundamental para a humanidade”, destaca o mestre em educação.

Conheça os monumentos de Samambaia:

– Lugar ao Sol, 2005: no balão da segunda Avenida Norte e Central, é uma homenagem à população recém-chegada na cidade;
– Luz do Saber, 2007:  no balão da primeira Avenida Norte e Central, representa a importância do conhecimento;
– Transparência, 2009:  no balão da segunda Avenida Sul e Central, faz referência ao fórum de Samambaia;
– Encontro, 2010: no balão da primeira Avenida Sul e Central, tem esse nome por estar no centro urbano da cidade;
– Figuras do Agreste, 2021: na Avenida Leste, próximo ao viaduto do Recanto das Emas, é uma parceria com o artista plástico Ramon Rocha. O monumento faz referência às pessoas que vieram do Nordeste;
– Três Meninas, 2005: no balão da Avenida Leste e Norte, em frente ao Hospital Regional de Samambaia, do artista Lia Samara, faz referência a outra obra do projeto, Casinhas de Bonecas;
– Asas da Imaginação, 2006: na entrada da expansão da região, a estrutura também foi feita pelo artista Lia Samara e é uma forma de as pessoas refletirem por meio da imaginação e
– Casinhas de Boneca, 1960: localizado no Parque Três Meninas, é uma homenagem que o pioneiro Inezil Penna Marinho fez às suas filhas ao dar o nome de Três Meninas ao local. É o único monumento que não foi feito pelos artistas.

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília