Ritmo de vacinação acelera com a procura dos jovens

População de faixas etárias menores busca postos com mais rapidez; em três dias, 40% das pessoas entre 25 e 29 anos receberam a primeira dose

4659

A vacinação contra a covid-19 no Distrito Federal acelerou na última semana com a inclusão da população mais jovem na campanha de imunização. A busca pelo imunizante entre as faixas etárias menores – de 20 a 29 anos – tem sido mais rápida do que a dos grupos etários de maior idade. A informação foi divulgada na tarde desta quinta-feira (12), durante a coletiva de imprensa no Palácio do Buriti.

Na última semana, o DF registrou um recorde de aplicação. De 2 a 4 de agosto, foram vacinadas 162.171 pessoas, sendo 135.026 com a primeira dose e 27.145 com a segunda. No dia 3 foi aberta a campanha para o público de 25 a 29 anos de idade, o que impulsionou a procura.

Com isso, já foi possível aplicar a primeira dose em 40% desse grupo – não incluindo aí os que já haviam recebido o imunizante por comorbidade ou categoria profissional prioritária. Nesta quinta-feira (12), primeiro dia da campanha para os jovens de 20 a 24 anos, o DF havia registrado 45.470 pessoas vacinadas até as 13h.

“Ao contrário das outras faixas etárias, que a gente tinha que convocar para vacinação, os mais novos estão demonstrando uma consciência importante (para a campanha) com uma procura em massa”, destacou o secretário da Casa Civil Gustavo Rocha. A expectativa é de que, com a chegada de novas doses, os jovens de 18 e 19 anos já possam ser vacinados na próxima semana.

Avanço no ranking

De 4 de agosto, quando novas doses extras de vacina começaram a ser recebidas pela Secretaria de Saúde, até esta quinta-feira (12), o DF saltou de 17º lugar no ranking nacional de vacinação para o 6º entre as unidades da federação que mais vacinam. A expectativa da pasta é chegar entre os cinco primeiros lugares até o fim desta semana.

Até esta quinta-feira, 53% da população do DF já recebeu pelo menos a primeira dose da vacina. As mulheres lideram o grupo com 56% de vacinadas. “As mulheres têm uma sensibilidade maior para a importância da vacina. Estão acostumadas a lidar com elas desde o início da maternidade”, avalia o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Por Agência Brasília com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto:  Joel Rodrigues/Agência Brasília