Forças Armadas da Armênia violam acordo de cessar-fogo

8491

Apesar do acordo feito durante a reunião dos Ministros das Relações Exteriores da República do Azerbaijão e da República da Armênia, em Moscou, com a mediação da Federação Russa, para observar um cessar-fogo humanitário a partir das 12h do dia 10 de outubro de 2020, as Forças Armadas da Armênia continuam a violar grosseiramente o acordo.

Imediatamente após o estabelecimento de um cessar-fogo humanitário, as forças armadas armênias atiraram nas regiões de Agdam e Tártaro do Azerbaijão. Poucas horas depois, as Forças Armadas da Armênia tentaram atacar a região de Hadrut e Jabrayil. Um médico ficou gravemente ferido como resultado do tiro pelas forças armadas armênias de um veículo médico sanitário, claramente marcado com uma bandeira branca, recolhendo os corpos de soldados armênios na área de Sugovushan.

Na noite de 11 de outubro, Ganja, a segunda maior cidade do Azerbaijão e muito além da linha de frente, foi atingida por foguetes das forças armadas armênias. O ataque matou nove civis e feriu outros 34, incluindo jovens. O bombardeio de civis e cidades pelas forças armadas armênias após o acordo de cessar-fogo humanitário é outro exemplo claro de barbárie e mostra que os apelos de cessar-fogo da liderança armênia não passam de hipocrisia.

Os disparos deliberados da Armênia contra civis, residências, objetos civis e pessoal médico como parte de sua política agressiva contra o Azerbaijão, mais uma vez demonstra o desrespeito do país pelas normas e princípios fundamentais do direito internacional, incluindo o direito internacional humanitário e as Convenções de Genebra, e também mostra que está claramente violando suas obrigações e está longe dos princípios do humanismo.

Condenamos veementemente esses atos de agressão pela Armênia e exortamos a comunidade internacional a tomar medidas decisivas para forçar o agressor Armênia a cumprir o direito internacional e suas obrigações internacionais. A responsabilidade total pela situação na região recai sobre a liderança política e militar armênia.

Declaração do Ministério das Relações Exteriores da República do Azerbaijão N.º 331/20, 11.10.2020

Por Elkhan Polukhov – Embaixador do Azerbaijão no Brasil com informações de Sandra Barreto da Gazeta do DF

Foto Reprodução